IAB Campinas

Blog

30
abr

Secretário de Transportes de Campinas apresenta Plano Cicloviário de Campinas às entidades da Construção

5 Entidades estiveram reunidas para conhecer e contribuir com o novo plano

Na manhã desta quinta-feira, dia 30 de abril de 2015, na Sede Regional do SECOVI em Campinas, foi apresentado o Plano Cicloviário de Campinas às Diretorias de 5 entidades da Construção Civil – Associação Regional dos Escritórios de Arquitetura – AREA, Associação Regional da Habitação – HABICAMP, Sindicato da Habitação – SECOVI, Sindicato da Construção Civil – SINDUSCON e Instituto de Arquitetos do Brasil – IAB.

O Secretário de Transportes e Presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento – EMDEC, Sr. Carlos Barreiro – explanou sobre a situação atual das ciclovias de Campinas (que detem 20km), e apresentou os estudos para sua gradativa expansão (até 188km), conforme preconiza o Plano de Governo do Prefeito Jonas Donizette.

Nesta missão, estiveram envolvidas as Secretarias de Infraestrutura, Serviços Públicos, do Verde e Desenvolvimento Sustentável e o Gabinete do Vice-Prefeito Henique Magalhães Teixeira, além da Secretaria de Transportes e o Organizações de Cicloativistas de Campinas.

As premissas apresentadas foram:

  1. Privilégio ao Transporte Não Motorizado
  2. Abrangência de toda a cidade de Campinas
  3. Ciclovias como modal de transportes
  4. Integrada aos demais modais da cidade

Detalhe padrão do projeto, com duas pistas, com seção de 2,50m de largura, também acessível à cadeirantes.

Na apresentação ficou bastante claro que as críticas costumazes, tais como a pouco ou nenhuma utilização destas ciclovias, o impacto que elas trazem ao fluxo de automóveis, as mudanças da paisagem urbana, todas são recorrentes às críticas que cidades do mundo todo sofreram, a mais de 30 anos atrás.

“Mudanças culturais do cotidiano levam tempo para serem absorvidas, mas desde que planejadas, surtem efeitos maravilhosos à população, inclusive no que tange a saúde pública e o bem-estar” Carlos Barreiro – Secretário de Transportes

Os Presidentes das entidades presentes contribuíram com experiências e solicitações pertinentes as quais serão consideradas na evolução do Plano Cicloviário.

“Campinas precisa unificar o Plano Cicloviário ao Plano de Mobilidade, e qualificar o transporte público de massa para que os munícipes possam gradativamente usar menos o meio individual, e mais o coletivo. Regiões centrais devem fechar ruas, e transformá-las em calçadões arborizados, promovendo bolsões de estacionamento nas suas bordas” Arquiteto Fuad Jorge Cury – Diretor Regional do SECOVI em Campinas

“De suma importância ao Plano, fomentar leis de incentivo para que as empresas e polos empregadores qualifiquem seus vestiários, de forma a permitir que seus funcionários possam tomar banho e guardar suas bicicletas em segurança” Arquiteto Welton Nahas Curi – Presidente da HABICAMP

“Campinas detém um enorme volume de leitos férreos subutilizados, que atravessam a cidade de Norte a Sul, de Leste a Oeste, com inclinação máxima de 2%. Estas áreas poderiam receber o futuro Metrô da cidade, promovendo a cava simples, arrimos e lajes, sem os elevados custos do “tatuzão”, e sobre estas linhas, receber parques lineares com ciclovias e até mesmo viário quando necessário. Esta ação demanda Planejamento, e não “Fazejamento”, como a cidade já se acostumou a promover.” Arquiteto João Verde – Presidente da AREA

“Dada a realidade topográfica do Município, e também às grandes distâncias entre o Trabalhar e o Morar, é imprescindivel que este belo Plano apresentado contemple farta arborização e sombreamento das faixas, para trazer conforto aos usuários. Também, em convênio com a SANASA, deve-se promover postos de hidratação com água mineral resfriada, com ciclovagas seguras, para que haja estímulo real à este modal.” Arquiteto Alan Cury – Presidente do IAB em Campinas

Ao final do encontro, ficou claro que o Plano Cicloviário de Campinas deve ser transformado em objeto do Plano Diretor de 2016, para garantir sua perene evolução, independente do calendário político eleitoral.

O Secretário Barreiro saiu com o apoio das 5 entidades, e com a missão de promover o Plano de Mobilidade Urbana municipal, com olhos para os próximos 25, 50 anos. Para tanto as entidades se dispuseram a colaborar de forma proativa, contribuindo durante as etapas de finalização do planejamento e também durante os projetos.